O Princípio 90/10

Muitas vezes, estamos inspirados e escrevemos o que pensamos. E como é importante a nossa idéia ser escrita.  E que este texto ‘clean’, simples (e, por isso, de muita profundidade) possa ser lido por muitos durante a eternidade…

É o caso de Stephen Covey (muitas vezes, não compreendido pelos seus pensamentos) que pôde retratar no texto abaixo as nossas “re-ações” num mundo onde 90% criticam aqueles que fazem.

Criticar é também uma ação (se for consciente e construtiva) e pode ser uma reação (se for inconsciente e destruidora). Cabe a cada um de nós decidirmos qual caminho que queremos trilhar…

Vamos saborear o texto “crème de la crème” deste autor.

O Princípio 90/10

QUE PRINCÍPIO É ESSE?
Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.

O QUE ISTO QUER DIZER?
Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede. Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho.
Mas, você é quem determinará os outros 90%.

COMO?
Com sua reação!

Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família. Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.

Então, você se irrita.

Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa. E tem prosseguimento uma batalha verbal…

Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai para o trabalho também contrariada.

Você tem que levar sua filha de carro para escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 minutos de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra sem se despedir de você.

Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu sua maleta. Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso para o dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechadas, em silêncio e frias com você.

POR QUÊ?
Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.

PENSE, POR QUE SEU DIA FOI PÉSSIMO?
a – por causa do café?
b – por causa de sua filha?
c – por causa de sua esposa?
d – por causa da multa de trânsito?
e – por sua causa?

A resposta correta é a da letra “e”.

Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim.

O café cai na sua camisa, sua filha começa a chorar e então você diz a ela, gentilmente: “está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado”. Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui dando adeus com a mão.

NOTOU A DIFERENÇA?
Duas situações iguais, que terminam muito diferentes. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.

AQUI TEMOS UM EXEMPLO DE COMO APLICAR O PRINCÍPIO 90/10.
Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem, reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.

COMO REAGIR A ALGUÉM QUE LHE ATRAPALHA NO TRÂNSITO?
Você fica transtornado? Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe?
E o que acontecerá se você perder o emprego? Vai ficar preocupado, angustiado, perder o sono e adoecer?

ISTO NÃO FUNCIONARÁ!
Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho.
Seu voo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia. Por que manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada.
Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros. Estressar-se só piora as coisas.

Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o. Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo. Por desconhecerem o poder de escolher suas reações diante dos acontecimentos, milhares de pessoas estão sofrendo e se estressando desnecessariamente. E o estresse destrói nossa saúde e nos envelhece.

TODOS DEVEMOS CONHECER E PRATICAR O PRINCÍPIO 90/10.
Ele pode mudar a sua vida!

Autor: Stephen R. Covey (nascido em 24 de Outubro de 1932 em Salt Lake City, Utah) é autor do best-seller administrativo (classificado por alguns como livro de auto-ajuda) “Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”, publicado pela primeira vez em 1989, como também do livro “Primeiro o Mais Importante”, dentre outros. Ele é fundador da Covey Leadership Center em Salt Lake City, Utah, e da “Covey” de FranklinCovey Corporation, que ensina a como fazer planejamentos nas organizações.

Comentários: Josef Karel Tlach

 

Meu Mestre – Meu Amigo

deus
Todos nós temos um mestre. Cada um o descobre em alguma fase de sua vida e dá um nome a ele: Deus, Espírito Santo, Jeová, Alá, João, Jesus, Maria, José, voz interior, amigo secreto, etc.
Dizem que quando o discípulo está pronto, o mestre aparece… Mas, na verdade, ele sempre esteve presente em nossas vidas. Nós, ainda, que não o re-conhecemos. Digo “re” porque a maioria de nós (na nossa infância) brincávamos com ele e os adultos o chamavam de “amigo invisível”, “amigo secreto”, etc. 
É… desde que fomos concebidos, ele já estava lá nos acompanhando. Alguns o personificam numa pessoa; outros acreditam que ele é ligado a uma religião e muitos nunca pensaram nele. Na verdade, ele é designado por Deus para cuidar de você e da sua existência, aqui, nesta dimensão. E ele, na sua profunda humildade, a aceita, sem discussão. Geralmente, você já tem uma ligação muito estreita com ele, de vidas anteriores.
E você conversa com ele todos os dias. Acredita que é somente a sua mente fazendo perguntas e dando respostas ou que é o seu cérebro funcionando. Mas ele é fiel a você e te acompanha 24 horas por dia, todos os dias, em todos os locais: no trabalho, no carro, no ônibus, na escola, em casa, nos seus mais profundos pensamentos. Você pode pensar: “então, eu perdi a minha individualidade e o meu livre-arbítrio?” Eu digo que não – pelo contrário, ele o respeitará profundamente, mesmo você não acreditando nele.
A nossa mente é uma verdadeira “winchester” onde são guardadas todas as informações que a nossa essência consegue captar (entenda-se como sendo ‘a nossa essência’ a união dos nossos quatro corpos: emocional, mental, físico e vibracional). Ou seja, a nossa mente armazena o nosso passado e toma decisões baseadas no mesmo. Mas, o aprendizado é no presente e não podemos somente decidir observando o nosso passado. Portanto, o nosso cérebro não está preparado para tomar decisões no presente.
Mas, o Grande Arquiteto do Universo não nos deixou a sós em nosso caminho. Ele nos deu um mestre, Seu Representante, que é nossa voz interior que pergunta, questiona, dá respostas e é presente sempre. Pensamos que é o nosso cérebro, mas não o é. Não estou menosprezando a capacidade cerebral do ser humano e sei, também, que a ciência ainda tem muito a desvelar sobre este tema.
O nosso mestre também está em evolução, ou seja, aprendendo como nós. Mas, ele tem uma consciência muito maior que a nossa para orientar os nossos passos para o nosso verdadeiro caminho de vida.
Você pode estar se perguntando: “como posso ter uma conversa com o meu mestre? Ele me dará todas as respostas que quero, sobre qualquer assunto?” E a resposta que lhe dou é: sim, ele pode lhe dar todas as respostas, mas você precisa se aproximar dele e ouvi-lo. Sim… aproximar-se dele é você assumir o seu verdadeiro caminho de vida, é autoconhecer-se, é buscar o seu interior, é falar consigo mesmo(a),
Uma dica: em vez de você achar que o seu cérebro é que resolve tudo, mude de atitude, acredite e fale para si mesmo(a): “quero conversar com o meu Mestre Interior”. Se apresente a ele (você pode ficar se olhando num espelho) e faça as perguntas que quiser. Observe as respostas, anote o que achar interessante e, depois de alguns dias, releia o que escreveu.
No inicio deste processo, você perceberá que o seu Mestre está muito distante, mas, na verdade, é você e o seu cérebro que ainda não estão acostumados com esta realidade nova que te proponho. Seja insistente: tente várias vezes, determine um período de tempo: “farei este exercício, todos os dias, durante 30 dias, quando estiver voltando do meu trabalho” – e converse com ele, faça perguntas, obtenha respostas, anote-as num caderno específico para este exercício e leia posteriormente.
No começo, o seu cérebro ficará muito resistente e dirá: “isto é um absurdo, nunca ouvi falar sobre isto, não há registros no meu passado sobre isto, estou ficando doido, que besteira, etc, etc ,etc…”. Na verdade, o seu cérebro “esqueceu” que o seu mestre existe e ficou “formatado” com os conceitos recebidos dos seus pais e da sociedade em que vive. Eu acredito na “pureza” das crianças e acredito que elas crescem e se tornam adultos (a “pureza”, nesta fase, é tachada de “ingenuidade”). Na verdade, a pureza está no adulto que a embota.
Digo sempre que os adultos são crianças crescidas. E o nosso mestre vem resgatar a nossa pureza de alma, a nossa criança, o nosso amor verdadeiro. E uma criança ama incondicionalmente os seus pais, sejam eles certos, incertos, errados, ferozes, feridos, felizes, etc. O nosso mestre nos ensina, em todos os momentos, o amor verdadeiro que Deus nos deu.
Com o passar do tempo, o seu cérebro aceitará o seu mestre como uma verdade. Então, você reconhecerá o grande amigo que sempre acompanhou os seus passos na sua vida. Você perceberá que não está sozinho e nunca esteve. Que Deus, na sua infinita sabedoria, nunca nos deixou a sós. Isto não é preenchimento da nossa solidão, é, sim, a descoberta da grande ligação espiritual que existe no nosso Universo. Tudo está interligado, tudo é Deus.
Acredite no seu mestre porque ele sempre acreditou em você!
Autor: Josef Karel Tlach em 11.11.2010

O Verdadeiro Caminho de Vida


“O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
 A cobiça envenenou a alma dos homens… levantou no mundo as muralhas do ódio… e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.” (“O Último Discurso”, do filme “O Grande Ditador”, em 1940, de Charles Chaplin)
Todo homem quer viver plenamente, ou seja, ser feliz (com a família, amigos e no seu trabalho). Para isto acontecer, é necessário ele tomar decisões que levam a percorrer um caminho de vida. As vezes, de percurso mais longo, outros com ‘pedregulhos’ e ‘rochas’ que atrapalham o seu caminhar, caminhos curtos, caminhos que não chegam a nenhum lugar e, em poucas ocasiões, no seu verdadeiro caminho de vida.
Mas o que é o verdadeiro caminho de vida? É aquele que você percorre para cumprir a sua missão ao chegar aqui, neste planeta. E o seu coração bate forte e ‘gostoso’, quando você o está trilhando. As coisas acontecem, as coincidências são muitas, as portas se abrem naturalmente e a vida flui. É bem verdade que saímos e voltamos para a rota, muitas vezes ao dia – é um verdadeiro exercício de consciência onde erramos, perdoamos, acertamos, caímos, levantamo-nos, amamos uns aos outros, rimos, choramos, aprendemos, sublimamos, etc. Não acreditamos em coincidências e somente existem evidências. Quando falamos nas coincidências é porque ainda não temos a total consciência de como o Universo engendrou tal fato. 
Mas, como saber se estamos no nosso verdadeiro caminho de vida? Simplesmente, pergunte ao seu coração: “eu me sinto bem com a minha existência atual?”. Se você sentir uma suavidade, satisfação. alegria em seu peito, então, está no seu verdadeiro caminho; caso contrário, sente tristeza, sofrimento, decepção, pesar, etc, então, deve refletir e reavaliar o que está fazendo e não te agrada, com quem está se envolvendo pessoal e profissionalmente, etc. Muitas vezes, estamos tão longe dele que não acreditamos que ele existe. É comum se ouvir: “a vida é assim mesmo…”, “não posso mudar o que já está definido para mim…”, “Deus quer que seja assim…”, “e se eu perder o meu emprego…, a minha família…, os meus amigos….”. Mudar parece sinônimo de “insegurança”. Mas, nada é parado no Universo e, graças a Deus, que é assim: temos sempre a oportunidade de nos “mudar”: a transformação constante do Universo nos permite isto.
Perceba que falamos na “linguagem do coração”. E porque não pensar racionalmente? É o que fazem a maioria das pessoas e esquecem que o ‘coração’ é o seu ‘melhor amigo’. Ele nos diz, a todo instante, se estamos felizes ou tristes com aquilo que fazemos (e ser feliz é estar dentro do seu verdadeiro caminho). As primeiras impressões que tivemos do nosso mundo ao nascer, foram somente através dos nossos sentidos. E inibimos esta ‘sensibilidade’ conforme o nosso corpo mental foi se desenvolvendo com o decorrer dos anos. Racionalizamos tudo e inibimos a nossa sensibilidade. A redescoberta desta linguagem emocional é trabalho da terapia floral junto ao seu paciente, expandindo a sua consciência, através do equilíbrio do seu corpo emocional. 
Charles Chaplin dizia  “O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza… mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura…”, ou seja,  precisamos ser mais emocionais para termos compaixão com o nosso próximo e entregarmos um mundo melhor para a nossa família, para nossos amigos e para a nossa sociedade. Vamos unir os nossos corações e vamos perceber que coração é um só, uma só batida, um só pulsar. Quem vive, pulsa. E quem pulsa merece o nosso verdadeiro amor.
Trilhe o seu verdadeiro caminho de vida e seja verdadeiramente feliz!
Autor: Josef Karel Tlach em 10.04.2010

Viva o Agora! Viva o Amor!

O maior presente que recebemos de Deus é a nossa Vida manifestada no presente. É o que toda natureza faz: realizações – “real ações” – ou seja, trilha o seu verdadeiro caminho de vida transformando o agora.

Este vídeo me emocionou muito porque aquele que experenciou a sua morte, sabe dar o valor incomensurável à Vida. E não perde tempo, somente quer realizar no presente.

Chega de ilusões, desejos, paixões… o AMOR se torna o foco.

Amor a todos e a tudo. Sentir o ‘cheiro’ dos ventos, da chuva, das flores, das frutas e dos campos; dizer um “bom dia” com o seu coração para as pessoas que você não conheçe: no elevador, na padaria, no supermercado, no seu trabalho, para o gari que limpa a sua sujeira todos os dias…; amar plenamente a sua família, os amigos e até perdoar os seus “inimigos”…

Estar presente é vivenciar a maravilhosa obra do nosso Grande Arquiteto do Universo. É gerar Vida para tudo e para todos, sendo a criatura copiando e respeitando o seu Criador.

Josef Karel Tlach em 10.01.2013

Vídeo: Palestra de Rick Elias com o tema: ” As 3 Coisas que aprendi quando meu Avião caiu…”

Gratidão!

Os Efeitos Incríveis da Gratidão

Pesquisadores confirmam como o sentimento de mostrar-se agradecido melhora o sono, além de diminuir a ansiedade e a depressão.
O ato de cultivar uma “atitude de gratidão” tem sido relacionado por psicólogos a uma saúde me­­lhor, a um sono mais profundo, a menor ansiedade e depressão, a maior satisfação com a vida a longo prazo e a um comportamento mais gentil para com os outros, inclusive parceiros românticos.
Um novo estudo demonstra que sentir-se grato faz com que as pessoas se tornem menos passíveis de ficarem agressivas quando provocadas.
Sentimento diminui Agressividade
Um experimento recente da Universidade de Kentucky mostrou o que acontece quando você ataca alguém que o incomoda. Após entregarem uma redação, alguns alunos receberam elogios enquanto outros receberam uma avaliação mordaz: “Esta é uma das piores redações que eu já li!”
Depois, cada aluno jogou um jogo de computador contra a pessoa que havia feito a avaliação. O ganhador do jogo poderia administrar uma descarga de barulho contra o perdedor. Não é de surpreender que os redatores insultados retaliaram contra seus críticos submetendo-os a descargas especialmente altas – muito mais altas do que o barulho administrado pelos alunos que haviam recebido avaliações positivas.
Mas houve uma exceção a essa tendência entre um subgrupo dos alunos: aqueles que foram instruídos a escrever redações sobre coisas pelas quais eram gratos. Após esse exercício em contar seus benefícios, eles não se sentiram incomodados pela crítica negativa – ou pelo menos não se sentiram compelidos a aumentar o barulho contra seus críticos.
“A gratidão é mais do que só sentir-se bem”, disse Nathan DeWall, que orientou o estudo na Kentucky. Ao aumentar a empatia, ela ajuda as pessoas a ficarem menos agressivas. “É uma emoção com oportunidades iguais. Qualquer um pode experienciá-la e se beneficiar dela”.
Mas, e se você não for do tipo grato? De acordo com os pesquisadores, comece com uma gratidão “light”. Esse é o termo usado por Robert A. Emmons, da Uni­­versi­­dade da Califórnia, em Da­­vis, para a técnica que ele utilizou em seus experimentos pioneiros conduzidos juntamente com Michael E. McCullough, da Uni­­versidade de Miami.
Eles instruíram as pessoas a manter um diário listando cinco coisas pelas quais elas se sentiam gratas, como a generosidade de um amigo, algo que aprenderam ou um pôr do sol que lhes tenha agradado.
O diário de gratidão era breve – só uma frase para cada uma das cinco coisas – e era preenchido só uma vez por semana, mas após dois meses houve efeitos significativos. Em comparação com o grupo de controle, os indivíduos que mantiveram o diário de gratidão eram mais otimistas e mais felizes. Eles relataram menos problemas físicos e passaram mais tempo se exercitando.
Outros benefícios foram observados num estudo de sobreviventes de poliomielite e outros com problemas neuromusculares. Aqueles que mantiveram um diário de gratidão relataram se sentir mais felizes e mais otimistas do que aqueles no grupo de controle, e esses relatos foram corroborados com observações de seus cônjuges. Essas pessoas gratas também adormeciam mais rapidamente à noite, tinham um sono mais longo e acordavam se sentindo mais renovadas.
“Se você quer dormir melhor, conte seus benefícios em vez de carneirinhos”, aconselha Em­­mons no livro Thanks! (“Obriga­­do!”, em tradução livre), sobre a pesquisa da gratidão.
Mas não confunda gratidão com endividamento. Claro, você pode se sentir obrigado a devolver um favor, mas isso não é gratidão, pelo menos não segundo a definição dos psicólogos. Endivida­­mento é um sentimento mais negativo e não resulta nos mesmos benefícios que a gratidão, que lhe inclina a ser gentil com todos, não somente um benfeitor.
Reação em Cadeia
Num experimento da Univer­­sidade Northeastern, Monica Bartlett e David DeSteno sabotaram os computadores de cada participante e armaram para que um outro aluno os consertasse. De­­pois disso, os alunos que haviam sido ajudados eram mais passíveis de se voluntariarem para ajudar outra pessoa – um completo estranho – em alguma tarefa não relacionada. A gratidão promoveu carma bom. E se funciona com estranhos…
Tente com a sua família. Não importa o quão disfuncional ela seja, a gratidão ainda pode funcionar, diz Sonja Lyubomirsky da Universidade de Califórnia, em Riverside.
“Agradeça por cada gesto gentil ou generoso. Expresse sua admiração pelas habilidades ou talentos alheios – usar com destreza uma faca de cozinha, por exemplo. E dê ouvidos de verdade, mesmo quando o seu avô estiver lhe entediando novamente com a mesma história da Segunda Guerra Mundial”, diz.
Fonte: The New York Times, John Tierney, publicado em 26/11/2011 
Tradução de Adriano Scandolara
Agradecimentos: a T. – amiga e incentivadora do nosso trabalho que nos enviou esta excelente reportagem.

Conselho para os meus Filhos

Conselho para os meus Filhos

Tenho seis crianças adoráveis – uma delas agora adulta, e outras duas quase lá – e penso bastante sobre o que eu acho que elas deveriam saber enquanto crescem e saem para o mundo.

O que eu poderia ensinar de melhor para equipar meus filhos para a vida? Eis o que eu gostaria que eles soubessem:

Você é bom o suficiente. A maior parte das pessoas tem medo de fazer as coisas porque temem não ser boas o suficiente, temem falhar. Mas você é bom o suficiente – aprenda isto e você não terá medo de coisas novas, não terá medo de falhar, não precisará da aprovação dos outros. Você estará pré-aprovado – por si mesmo.

Tudo que você precisa é estar feliz dentro de você. Muitas pessoas procuram felicidade na comida, drogas, álcool, compras, festas, sexo… porque estão procurando felicidade externa. Elas não percebem que as ferramentas para a felicidade não estão fora delas. Elas estão bem dentro de você: atenção, gratidão, compaixão, consideração, a habilidade de criar e fazer alguma coisa significativa, mesmo que seja pequena.

Você pode iniciar o seu próprio negócio. Quando jovem, eu pensava que precisava ir à faculdade e então ter um emprego, e que ter um negócio era coisa para gente rica. Isso estava totalmente errado. É possível para quase qualquer um começar o próprio negócio, e enquanto você provavelmente irá mal no início, você aprenderá rápido. É uma educação muito mais eficiente do que a da faculdade. Tudo de útil que aprendi não aprendi pela faculdade… aprendi fazendo.

Dito isto, tive alguns professores incríveis. Eles porém nem sempre estão na escola: estão em todos os lugares. Um amigo que conheci no trabalho. Meus colegas online. Minha mãe, meu pai, meus irmãos, avós, tios e tias. Minha esposa. Meus filhos. O fracasso. Professores estão em todos os lugares, quando você está disposto a aprender.

Gaste menos do que você ganha. Trinta por cento a menos se conseguir. A maioria das pessoas consegue um emprego e imediatamente gasta sua renda num empréstimo de carro, num aluguel caro ou num financiamento pesado de casa, adquirindo bens e comendo fora usando o cartão de crédito. Nada disso é necessário. Não gaste se você não tem. Aprenda a passar sem, e a ser feliz com menos. Guarde algum dinheiro para que cresça com o poder da renda composta. O seu eu futuro irá lhe agradecer.

Aprenda a amar comida saudável. É tudo uma questão de ajustar suas papilas gustativas, devagar e gradualmente. Aprenda a cozinhar para si mesmo. Tente algumas receitas saudáveis e deliciosas.

Aprenda compaixão. Começamos a vida com uma perspectiva muito egoísta – queremos o que queremos. Mas compaixão é perceber que não somos mais importantes do que ninguém, e que não somos o centro do universo. Alguém está lhe chateando? Saia da sua pequena concha e tente saber como está sendo o dia desta pessoa. Como você pode ajudá-la a sentir menos raiva, menos dor?

Nunca pare de aprender. Se você aprender apenas uma pequena coisa por dia, ela se somará ao longo do tempo imensamente.

Divirta-se sendo ativo. Claro, há muita diversão para se ter online, comendo doces e comida frita, e também em assistir televisão, filmes e jogar videogame. Mas sair e se divertir com amigos, jogar uma bola, nadar, escalar alguma coisa, desafiar um ao outro… isto é ainda mais divertido. E conduz a uma vida saudável, a um coração saudável, e a uma mente mais focada e energizada.

Fique bem com o desconforto. Evitar o desconforto é muito comum, mas um grande engano. Aprender a ficar OK com algum desconforto mudará sua vida.

As coisas que estressam você não importam. Adote uma perspectiva mais ampla: isso será importante daqui a cinco anos? Muito provavelmente a resposta é não. Se a resposta for sim, resolva a situação.

Saboreie a vida. Não apenas os prazeres usuais, mas todas as coisas e pessoas. O estranho que você encontra no ônibus. O sol que toca seu rosto enquanto você caminha. O silêncio da manhã. O tempo com uma pessoa amada. O tempo sozinho. Sua respiração enquanto medita.

Medite.

Não tenha medo de cometer enganos. Eles são dos melhores professores. Ao invés, tente ficar OK com os enganos, e aprenda a aprender com eles, e aprenda a sacudi-los para longe, para que não afetem sua profunda confiança em quem você é.

Você não precisa de ninguém mais para lhe fazer feliz ou validar você. Você não precisa de um chefe para lhe dizer que é ótimo no que faz. Você não precisa de um namorado ou namorada para dizer que você é amável. Você não precisa da aprovação dos seus amigos. Ter amigos e pessoas amadas em sua vida é incrível, mas reconheça quem você é, primeiro.

Aprenda a ser bom com mudanças. Mudança é a única constante na vida. Você irá sofrer se tentar segurar-se às coisas. Aprenda a deixar ir (a meditação ajuda a desenvolver esta habilidade), e aprenda a ter a mente flexível. Não se acomode com o que lhe deixa confortável, e não se feche ao que for novo e desconfortável.

Abra o seu coração. A vida é incrível se você não se fechar para ela. Outras pessoas são incríveis. Abra seu coração, esteja disposto a encarar as feridas que vêm com um coração aberto, e você experimentará o melhor da vida.

Deixe que o amor seja a sua regra. Sucesso, egoísmo, ter razão… estas não são boas regras sob as quais se viver. Ame família, amigos, colegas, estranhos, seus irmãos e irmãs da humanidade. Ame até mesmo aqueles que pensam ser seus inimigos. Ame os animais, a quem tratamos como comida e objetos. Acima de tudo, ame a si mesmo.

E saiba sempre, não importa o que aconteça: eu amo você com cada pequena parte do meu ser.

Fonte: Leo Babauta – autor e mantenedor do blog zenhabits.net.

A Terapia Floral e o Ho’oponopono


“Você não pode ser negado de tudo que é perfeito, íntegro, completo, e correto quando você é seu Eu Verdadeiro em primeiro plano. Ser seu Eu Verdadeiro faz com que você vivencie automaticamente a perfeição de Pensamentos, Palavras, Atos e Ações Divinos. Se você se permite em primeiro lugar pensamentos tóxicos, você automaticamente vivencia a imperfeição da doença, confusão, ressentimento, depressão, culpa e pobreza.” Dr. Ihaleakala Hew Len no livro “Limite Zero” de Joe Vitale.

Quando fazemos a terapia floral, buscando o nosso auto-conhecimento, verificamos que o erro de hoje é o aprendizado para o futuro acerto. Neste caso, a única forma de aprendermos é nos perdoando pelo erro que cometemos no passado. Pedir perdão ao próximo também é muito importante, mas ele pode não nos perdoar (porque ainda não está preparado para isto), então, assim mesmo, fazemos o nosso perdão.Somos humanos e erramos todos os dias. “Se há alguém dentre vós que não tem pecado que atire a primeira pedra” é a famosa frase de Jesus Cristo que nos remete a uma outra mais atual: “Quem nunca cometeu um erro num dia que atire a primeira pedra” – certamente, será muito difícil encontrar a pessoa que levantará a sua mão. Acumulamos erros que se transformam em culpas conscientes e inconscientes que definem caminhos de vida muito tortuosos e difíceis de serem realizados. São caminhos que não têm um fim…

Vamos explicar melhor. Na verdade, o nosso cérebro é uma máquina sofisticada onde são guardados todas as impressões que recebemos do nosso mundo mental, emocional, físico e espiritual. Estas impressões ficam armazenadas nesta ‘winchester’ sofisticada. Elas criam caminhos de neurônios (que chamamos de “caminhos neuronais”) por onde passam os nossos pensamentos, sentimentos e emoções. Por exemplo: na infância, a criança apanhava do seu pai indiscriminadamente, ou seja, ela cresceu com medo e ódio do pai; este sentimento está ‘armazenado’ em seu cérebro e, produziu um caminho neuronal do ‘medo e ódio’, ou seja, quando adulta, esta criança poderá ter medo e ódio pela figura de autoridade como, por ex: do seu chefe, líderes, políticos, sindicalistas, de pessoas ‘mandonas’, etc.

Estes sentimentos fazem a pessoa ficar ‘deslocada’ da sua origem que é o Amor Universal. Chamamos de Amor Universal tudo aquilo que existe na natureza e vive em equilíbrio consigo mesmo e em harmonia com o todo – o nosso Criador, Deus ou o Nome que você quiser a sua Divindade. Quando atingimos este estado de consciência, estamos muito perto do nosso Ser Divino (que é a nossa Divindade, Criação, Deus ou o Nome que você achar mais adequado).

Para “desmanchar” esta rede de neurônios, há a necessidade de nos reconectar com o nosso Divino através de novos caminhos neuronais que nos ajudarão a ampliar a nossa consciência. A mestra kahuna Morrnah Nalamaku Simeona (1913 – 1992) deixou para a humanidade um processo chamado Ho’oponopono atualizado. Através de quatro simples e poderosas frases ditas ao nosso Ser Divino, nos perdoamos e voltamos ao nosso verdadeiro caminho de vida. É um processo profundo de limpeza interna, onde a pessoa encontrará o seu verdadeiro caminho de vida através da sua Divindade. Não se deve esperar um resultado, mas, sim, deixar que o Divino lhe mostre o caminho a ser percorrido.

Para que o processo seja completo, Morrnah primeiramente fazia a seguinte oração:

 

“Divino Criador, Pai, Mãe, Filho como Um… Se eu, a minha família, parentes e ancestrais ofendemos a Ti, Tua Família, Teus Parentes e Teus Ancestrais com pensamentos, palavras e ações desde o início da nossa criação até o presente, pedimos o Teu Perdão…Que esta prece limpe, purifique, liberte e secione todas as memórias, energias, vibrações e bloqueios negativos, e transmute essas energias indesejadas em uma Luz Pura… Está feito”.

Se quiser repita esta oração quantas vezes quiser – ela ajudará a curar você e muitas pessoas ao seu redor.

Agora, conheça as quatro frases:
– Eu sinto muito.
– Eu me perdôo.
– Eu Te amo.
– Eu sou grato(a).

Repita estas frases várias vezes ao dia: no trânsito, sozinho, em casa, mesmo que não haja motivo, etc; você pode destacar uma que lhe toca mais naquele momento e repeti-la. Não existe regra em relação à ordem das frases. Deixe sua intuição lhe guiar.

Uma Explicação Mais Detalhada

Neste processo, somos responsáveis por tudo que está ao nosso redor, ou seja, nós criamos a nossa realidade e, por isso, podemos modificá-la se reconectando a nossa Divindade, ao nosso Amor Divino (de onde viemos e fomos gerados). Somos responsáveis por tudo aquilo que acontece com o nosso irmão porque somos nós que criamos este cenário. O mais brilhante deste processo simples e puro, é que não dependemos do próximo, de ninguém, para fazermos uma mudança de comportamento, a cura de uma doença no outro, etc. Só depende na nossa boa vontade em querer mudar e criar um mundo melhor.

1 – Eu sinto muito
“Eu percebo o erro que cometi e não quero mais fazê-lo – eu me arrependo dos atos que cometi”
Quando você diz “sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber quando e o que) penetrou no seu sistema corpo/mente.

2 – Eu me perdôo ou Tu me perdoas
“Eu me perdôo pelo erro que cometi”.
Na verdade, você está pedindo a sua Divindade para te ajudar a se perdoar.
Você quer o seu perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo.

3 – Eu Te amo
“Eu amo a minha Divindade profundamente e sempre”.
“Eu Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo – religa você ao Divino. “Te amo” é a energia do Amor Divino Universal que tudo criou
* Esta é a frase mais importante  porque faz a religação entre você e a sua Divindade – deve ser repetida várias vezes.

4 – Eu sou grato(a)
“Eu reconheço o que o Universo fez por mim; doo uma parte que recebi ao Universo e Ele me devolve um novo ciclo de energia”.
“Eu sou grato(a)” é a sua expressão de gratidão, é a sua fé em que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos.

Conforme você “vai se limpando” das suas culpas, se religando a sua Divindade e sendo grato a Ela,  os próximos passos  no seu caminho de vida serão determinados pelo Divino (ex: você pode ser inspirado a tomar alguma ação, qualquer que seja, ou não). Se continuar uma dúvida, continue o processo de limpeza e logo terá a resposta quando estiver completamente limpo.

Ho’oponopono na Terapia Floral

Ho’oponopono atualizado é o trabalho da humildade do profissional e do seu paciente. Este processo torna o terapeuta floral humilde porque ele chega a conclusão que nada pode fazer pelo seu paciente, mas pode fazer muito para melhorar a sua realidade melhorando, assim, a realidade do seu paciente. Ele chega a conclusão que a sua mente não tem a solução para os problemas do seu paciente. O terapeuta floral somente acompanha o seu paciente no caminho que ele escolheu.

Na terapia floral usando o Ho’oponopono atualizado, o terapeuta primeiro assume sua Identidade, sua Mente e a conecta com a Fonte Original, que outros podem chamar de Amor Divino, Divindade, Deus, Criador de Todo o Universo, Pai-Mãe-Filho, etc. Com essa ligação feita, o terapeuta pede ao Amor Divino corrigir os pensamentos errôneos que se manifestaram como problemas, primeiro nele e depois no paciente. O recurso é um processo de arrependimento e perdão por parte do terapeuta onde ele pronuncia: “Sinto por ser responsável pelos meus pensamentos errôneos que causaram meu problema e o de meu paciente – por favor, Me perdoe”.

Em resposta ao apelo de arrependimento e perdão do terapeuta, o Amor Divino começa o processo místico de transmutar os pensamentos errôneos. Nesse processo espiritual de correção, a Divindade primeiro neutraliza as emoções errôneas que causaram o problema, sejam elas de ressentimento, medo, raiva, culpa ou confusão. No próximo passo, o Amor Divino libera as energias neutralizadas dos pensamentos, deixando-as num estado de vazio e verdadeira liberdade.

Se não tomarmos cuidado, a terapia floral se torna uma forma de manipulação. E ela acontece quando o terapeuta pensa que o “paciente está doente e ele (terapeuta) vai trabalhá-lo para a sua melhora e equilíbrio emocional”. Na terapia floral com Ho’oponopono, o terapeuta acredita que o paciente veio até a ele lhe trazer uma oportunidade de olhar o que está acontecendo consigo mesmo (terapeuta) – neste caso, não há manipulação.

Como diz Ihaleakala, discípulo de Morrnah:
“Se a terapia for baseada em sua crença de que você está ali para salvar o outro, curar o outro ou orientar o outro, a informação que você traz emerge do intelecto, da mente consciente. Mas o intelecto não é habilitado para entender e abordar problemas. O intelecto não tem a menor condição de solucionar problemas! Ele é incapaz de compreender que, quando uma situação problemática é solucionada por transmutação (como no caso de Ho’oponopono e outros processos semelhantes), não só a situação fica resolvida, mas tudo o que estiver relacionado com ela, atingindo níveis microscópicos e estendendo-se até o início dos tempos… Sendo assim, penso que a pergunta mais importante a ser feita é: “O que é um problema?” Se você faz uma pergunta como esta, não há clareza. E como não há clareza, eles inventam uma forma de resolver o problema…”.

Autor: Josef Karel Tlach

Fontes:

Terapia Floral – A Terapia do Amor

 

3450crianca

Estamos diante de uma terapia que resgata o “Amor” das pessoas por si mesmas, pelo próximo, pelos seres vivos, pelo planeta e por tudo aquilo que foi criado no Universo.

As essências florais atuam naturalmente nos sentimentos e nas emoções do ser humano. E o primeiro resgate que elas fazem é o reencontro do paciente com o seu verdadeiro amor. Amar é um verbo – e o verbo é sempre uma ação.

Mas, vamos nos ater ao amor por si próprio – que é o princípio de um amor maior, quem sabe do Amor Universal. Sem ele não haveria vida. As pessoas procuram o amor dos outros e esquecem o amor a si próprias.

Uma pergunta básica que se faz nas primeiras sessões de terapia é: ‘você se ama?’ A maioria responde: ‘sim, claro…”. Mas quando o terapeuta pergunta: ‘quem é o seu melhor amigo(a)?’ Temos várias respostas: ‘o fulano de tal, o meu amigo de infância…”, ‘a minha esposa…’, ‘os meus pais…’, ‘sei lá… nunca pensei nisto…’ e, para aquele que já busca o seu caminho de vida, responde: ‘Sou eu mesmo(a)!’.

Parece egocentrismo, mas não o é. Como podemos amar se não conhecemos o nosso amor próprio? Como podemos amar se não nos amamos? Só podemos dar aquilo que temos. Então, um dos alicerces da terapia floral é a busca do paciente pelo seu amor perdido em algum momento de sua vida. Pode ser na idade mais tenra, pode ser no agora – mas o que importa é o reencontro com o seu amor verdadeiro.

Quando isto acontece, a pessoa poderá doar o seu amor ao próximo, ao trabalho, aos animais, a tudo, inclusive ao Universo. Tudo se torna mais claro. Você tem disposição para viver, trabalhar, viajar, etc. A vida é plena, os problemas são passageiros, as virtudes são realçadas, há compaixão, ou seja, você se torna mais objetivo com a vida e os problemas diminuem ou são resolvidos com maior facilidade.

O princípio do amor está na família. Viemos do amor dos nossos pais. Alguns vão dizer: ‘mas a criança que veio ao mundo sem os pais se amarem?’ Eu respondo que um ser somente vem ao mundo quando há amor – mesmo que seja por alguns instantes, e este amor gerou a vida dele.

Muitas pessoas procuram o amor dos outros – isto é um erro, o foco está errado – ame, mas ame incondicionalmente tudo e todos. O que os outros vão fazer com seu amor? Somente eles poderão responder. Ame a sua família, ame o seu trabalho, ame os seus amigos, ame a natureza, ame, ame, ame… Através do seu amor, a Verdade se apresentará para você – e a decisão será somente sua. Não ficará mais ‘dependente emocional’, mas será um doador universal de amor. Não importa a quem – somente ame… E, assim, você estará trilhando o seu verdadeiro caminho de vida!

Autor: Josef Karel Tlach escrito em 06.03.2010

As Flores e os Encantos de Cecelia Webber


 

Cecelia Webber nasceu num vilarejo campestre com apenas 1.500 pessoas e passou grande parte de sua infância nos campos contemplando a natureza. Ela era uma criança tímida, desajeitada, que gostava de ler e passava horas à procura de fadas em pequenas cabanas de carvalho abandonadas e em muros em ruínas. Curiosamente, à medida que crescia, o mundo lhe parecia mais estranho. Muitas perguntas vinham a sua mente: por que sentimos tanta vergonha do corpo humano na nossa cultura ocidental, e, também, em muitos cantos do mundo? Não é o corpo uma criação bela e maravilhosa, que merece pelo menos ser comemorada?

Os seus pensamentos continuaram a evoluir e Cecelia conta como iniciou o seu trabalho: “Foi realmente um acidente. Atirei uma foto de uma pessoa nua sobre um fundo preto e pensei que parecia tanto com uma pétala de flor que eu finalizei um trabalho com ela”. E foi assim que Cecelia começou a sua jornada como artista profissional, desenvolvendo a série “Pétala”, criando as suas pinturas impressionistas e modernistas, dançando vivamente em videoclipes feitos por fãs e em filmes experimentais na esperança de dissipar uma grande parte da visão do mundo sobre nudez como “algo erótico ou repugnante”, como ela mesma diz.

Atualmente, trabalhando em Los Angeles, Califórnia (EUA), o seu trabalho consiste apenas em apresentar o corpo humano nú (muitas vezes, o seu próprio) fotografado em poses de yoga peculiares e, em seguida, cuidadosamente sobrepostas usando o photoshop para formar formas familiares de pétalas, estames, tronco, borboletas, aves, etc. Elas são tão familiares e tão bem posicionadas, que, à primeira vista, é difícil dizer que você está olhando para as pessoas nuas. No final, a artista satura as formas com cores deslumbrantes. Sua obra é uma grande homenagem à natureza: à beleza da figura humana e às formas e às cores que conectam todas os seres vivos.

Artista: Cecelia Webber – http://ceceliawebber.com 

Autor: Josef Karel Tlach em 22.01.2011

A Flor – Esta Divina Obra

A Flor – Esta Divina Obra.

 Flor, em grego, significa o melhor de.Uma planta floresce quando ela está vivendo o seu melhor momento de vitalidade e energia, ou seja, quando vive o momento mais puro e Divino de sua existência. E a flor (a parte sexual da planta) fica em contato com o céu (o Divino) e polariza o equilíbrio emocional com o homem (parte sexual ligada a Terra – o físico). As flores sempre acompanharam o homem em todas as fases de sua vida: desde o seu nascimento, datas especiais como o aniversário, batizado, casamento, comemorações, festas, etc e até o momento de sua última despedida nesta vida. São datas onde o emocional do ser humano está em ebulição.

A flor nos dá as suas cores. Quantas flores e cores encontramos em nosso planeta! Estima-se que existam cerca de 250.000 a 300.000 espécies distribuídas em aproximadamente 10.000 gêneros e 300 famílias. Sem as flores, o mundo seria cinzento porque não haveria polinização, frutos, sementes, insetos, animais, pássaros, abelhas, plantas, etc. ou seja, uma boa parte da fauna e da flora não existiriam.

A flor nos dá os seus aromas. Desde o cítrico até o mais doce dos perfumes que nos faz lembrar um momento, um lugar, um sabor e a pessoa amada.

A flor nos dá a beleza de suas formas. Seja ela dímera (duas pétalas), trímera (3 ou múltiplo de 3 pétalas), tetrâmera (4 ou múltiplo de 4 pétalas) ou pentâmera (5 ou múltiplo de 5 pétalas). Como se a sua mandala pudesse expressar a linguagem de Deus aqui, na Terra, através das suas pétalas e sépalas.

A flor nos dá a sua textura. Apalpe uma pétala de rosa e sinta a sua leveza e a suavidade do seu toque aveludado, o seu frescor que vem da terra e a delicadeza da natureza na fase da sua criação de suas micro fibras entrelaçadas por onde passam a água, o aroma e seus nutrientes.

A flor nos dá as suas vibrações. Elas emanam a energia do Criador que fala através delas. Coloque flores em sua casa e veja como o ambiente muda. É o vegetal que está em sintonia com o céu e a terra e que transmite o que há de mais puro em sua essência.

A flor nos dá a sua fala. Sim! Ela fala! Sente e observe uma flor e veja o que ela quer transmitir a você. Pode ser que num primeiro momento você se ache um idiota fazendo isto mas, ela tem a  sua linguagem que os sintonizadores de essências florais conhecem muito bem.

A Linguagem das Flores

O significado tradicional das flores vem da época Vitoriana. Naquele tempo era impróprio declarar abertamente seus sentimentos, criou-se então a “Linguagem das Flores” para demonstrar suas intenções sem falar uma palavra sequer. Assim, quando um homem estava interessado em uma mulher ele a presenteava com uma flor que passava uma mensagem adequada.

As flores eram o veículo para expressar os desejos, pensamentos e sentimentos. Dezenas de pequenos livros foram escritos servindo como dicionários da Linguagem das Flores, relacionando cada flor e sua mensagem.

Acácia amarela – significa amor secreto, utilizada para presentear amantes.
Acácia – elegância.
Alecrim – apesar de ser um arbusto de cheiro agradável demonstra coragem e felicidade.
Amor perfeito – em francês é “pensée”, está associada com pensamentos e recordações.
Azáleia Branca – romance.
Azáleia rosada – amor à natureza.
Begônia – cordialidade.
Camélia branca – beleza perfeita e virtude despretensiosa.
Camélia rosada – grandeza da alma.
Camélia vermelha – reconhecimento.
Copo-de-Leite – indiferença.
Cravo amarelo – desdém.
Cravo branco – amor ardente, ingenuidade, talento.
Cravo rosa – preferência.
Cravo vermelho – amor vivo.
Crisântemo amarelo – amor frágil.
Crisântemo branco – verdade.
Crisântemo vermelho – “eu amo”.
Dália vermelha – olhos abrasadores.
Dália amarela – união recíproca.
Dália rosada – delicadeza.
Flor de laranjeira – virgindade.
Flor de pessegueiro – amor conjugal.
Flor de romãzeira – amizade sincera.
Flores do Campo – equilíbrio, ponderação.
Gardênia – uma flor muito perfumada e tradicional representa a sinceridade.
Gerânio vermelho – consolo.
Gerânio rosa – capricho.
Gerânio silvestre – devoção constante.
Hortência – frieza, indiferença.
Íris amarelo / Flor de Lis – fogo de amor; usada com símbolo dos reis franceses; significa mensagem.
Íris azul – confiança.
Íris branco – esperança, fidelidade.
Jacinto –  tristeza profunda.
Lavanda – desconfiança.
Lótus – uma flor com o significado de proteção e amor.
Magnólia – amor à natureza, simpatia.
Miosótis – amor sincero e fidelidade.
Narciso – egoísmo e vaidade exagerados.
Papoula – fertilidade, ressurreição, sonho, extravagância.
Petúnia – revelações, a força espiritual que esclarece o mal-entendido.
Verônica – flor e nome da mulher que enxugou o rosto de Cristo no calvário; significa martírio.

Rosas

Sem dúvida, a flor mais popular entre os enamorados já que significa eterna paixão.

Cores das Rosas:

Rosa Vermelha – paixão, amor ardente, coragem e respeito.
Rosa Amarela – felicidade e amizade.
Rosa Rosa – amizade e carinho.
Rosa Rosa Escura – gratidão.
Rosa Rosa Clara – admiração e simpatia.
Rosa Chá – respeito e admiração.
Rosa Champagne – fidelidade entre o casal.
Rosa Branca – inocência, beleza e charme, como uma noiva.
Rosa Laranja – fascinação e encanto.
Rosa Coral – desejo e entusiasmo.
Rosa Lilás – amor à primeira vista.
Rosa Roxa – amor materno.
Rosa Azul – mistério, a conquista do impossível.

Combinações de Rosas:

Vermelhas com amarelas – felicidade.
Coloridas com tons claros – amizade e solidariedade.
Vermelhas com brancas – união e harmonia
Combinações com diferentes tons de rosa/vermelho – amor e felicidade.

Outras Flores

Crisântemo – representa a esperança, auxiliando na compreensão dos limites da vida, por isso, é geralmente associado ao luto e utilizado em funerais. Raramente são usados em buquês de casamento.

Gérbera – com as suas cores mais vivas representa alegria, pureza e simplicidade; ela é parecida com a margarida, mas possui cores mais vibrantes.

Girassol – representa dignidade, glória e paixão, sugerindo uma altivez com alegria, respeito e integridade. Seu estilo e cor trazem vida e muita energia aos ambientes. Para alguns, o girassol significa fama, sucesso e felicidade. Outros dão a ele atributos do próprio sol como nutrição, poder e calor. Presentear uma pessoa que acabou de abrir um negócio com um girassol pode significar ouro, fortuna.

Jasmim – significa sorte e alegria. Possui perfume marcante que se acentua durante a noite, e, por causa disso é conhecido como o Rei das Flores. Também é associado com casamento, doçura, inocência, majestade, pureza e paz.

Lírio – sua forma alongada e elegante sugere a inocência pura. Ele representa a ingenuidade juvenil e a pureza da alma. Por ser composto por 6 pétalas que formam um hexagrama, o lírio também simboliza os níveis superiores da inteligência.

Margarida – representa a juventude, a sensibilidade, virgindade e amor inocente. É com suas pétalas geralmente que se faz a brincadeira “Bem-me-quer/Mal-me-quer”.

Orquídeas – é uma flor que por seu formato e delicadeza representa a sexualidade, e beleza feminina. Seu significado varia entre amor, desejo, luxúria, perfeição e até mesmo pureza espiritual.

Tulipas – por serem flores resistentes e duráveis significam fervoroso amor. Como as tulipas têm uma centena de variações de cores (e também bicolores), cada uma pode ter um significado diferente. Enquanto as tulipas vermelhas são as de declarações de um amor duradouro e dedicado, as amarelas significam um amor sem esperança.

Violetas – lealdade e modéstia; violetas brancas podem significar que uma promessa está sendo feita.

Autor: Josef Karel Tlach em 19.10.2010

Fontes:  
http://fzerostudio.com.br
http://www.biologados.com.br

Top