Cogumelo Agaricus BlazeiCOGUMELOS

 

AGORA DISPONÍVEL PARA ENCOMENDA ATRAVÉS DO
WHATSUP 41 98484-6070 COM SILVIA.

FRASCO COM 300 COMPRIMIDOS (R$120,00)
QUALIDADE EXPORTAÇÃO PARA JAPÃO

 

 

A Ciência e a Natureza Buscando um Futuro Melhor para a Nossa Saúde. Os cogumelos são fungos que existem na natureza, consumidos e apreciados pelo homem há centenas de anos. Além do excelente valor nutritivo, tem sido atribuído a alguns cogumelos propriedades medicinais no tratamento de diversas enfermidades. Recentemente, a espécie Agaricus Blazei começou a despertar grande interesse a partir de estudos científicos que o relataram como um cogumelo com propriedades medicinais potenciais, sobretudo no uso conjunto de terapias contra tumores cancerígenos.

 

Pesquisas realizadas, principalmente no Japão, mostraram que o cogumelo A. Blazei contém uma substância considerada antitumoral constituída por polissacarídeos do tipo Beta Glucanas descrita como (1® 6) b -D-Glucan-Protein. Esses estudos, realizados com cobaias em laboratório mostraram que esses polissacarídeos, extraídos de cogumelos A. blazei, apresentaram forte ação contra tumores tipo Sarcoma 180 induzidos nas cobaias. Os polissacarídeos Beta Glucanas são constituintes e facilmente extraídos. das paredes celulares dos cogumelos hidrossolúveis.

 

No Brasil, algumas instituições de pesquisas como a Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista – UNESP, Campus de Botucatu, SP, Brasil, também estão conduzindo pesquisas para estudar as propriedades medicinais do cogumelo A. blazei, no combate ao câncer.

agaricus-blazei-gods-mushroom

É importante salientar que não estamos diante de um produto milagroso e infalível no tratamento curativo de doenças como o câncer. Os efeitos e resultados do A. Blazei são mais evidenciados quando o cogumelo é consumido para uma dieta terapêutica preventiva. O seu uso como curativo ainda é objeto de pesquisas. Porém alguns relatos de médicos e pesquisadores mostraram que o A. Blazei foi responsável pela recuperação e melhora do quadro clínico geral de pacientes com tumores cancerígenos, quando ministrados concomitantemente com os tratamentos convencionais, tais como a rádio e a quimioterapia. Em alguns casos, estas últimas terapias foram eliminadas, diminuindo o custo do tratamento e os efeitos colaterais deletérios ao organismo.

 

O cogumelo Agaricus Blazei é, portanto, um suplemento alimentar nutritivo e natural, essencial à manutenção diária da saúde, cuja principal propriedade é atuar no sistema imunológico do organismo, fortalecendo suas defesas. Contém poucas calorias (menos que a cenoura) e assim muito indicado para o estilo de vida sedentária do homem moderno, cuja atividade física é cada vez menor. O consumo diário desse cogumelo pode prevenir o surgimento de outras várias doenças, promovendo o equilíbrio natural das funções do organismo humano, fortalecendo-o como um todo.

 

Informações sobre o Agaricus Blazei

O cogumelo Agaricus Blazei é uma espécie de fungo pertencente a uma divisão do Reino Fungi, denominada basidiomycota e da ordem Agaricales. São organismos saprófitas, ou seja, necessitam do fornecimento de substâncias orgânicas, disponíveis na natureza, para o seu desenvolvimento, como palhas de cereais, capins e restos vegetais. É classificado como organismo decompositor. É um cogumelo de ocorrência natural nas regiões serranas da Mata Atlântica do sul do Estado de São Paulo, Brasil, e segundo relatos de produtores, a espécie nativa foi coletada inicialmente por um agricultor e estudioso (Sr. Furumoto), que a cultivou entre as décadas de 60 e 70. Na época algumas amostras foram levadas para o Japão, onde inicialmente foram estudadas as suas propriedades medicinais.

 

Historia do Cogumelo

Foi um grande impacto para muitos no passado, quando um Cogumelo chamado “Agaricus Blazei” obteve seu reconhecimento como um apoio alternativo no tratamento de muitas doenças incluindo o Câncer. É também conhecido que o “Agaricus Blazei” é eficaz como um reforço alimentar. Um suplemento capaz de aumentar o poder do sistema imunológico do nosso organismo. O “Agaricus Blazei” finalmente ficou conhecido e tornou-se famoso em 1990, sendo que o mesmo foi descoberto em 1960, no Brasil, e foi usado largamente na região de seu descobrimento, como um suplemento alimentar, para aumento da longevidade da população.

 

É originário do interior de São Paulo, de onde expandiu sua produção. O cogumelo medicinal , nome cientifico (AGARICUS BLAZEI). Seu descobridor é o respeitadíssimo botânico Sr. Takatoshi Furumoto,que em meados de 1975 , enviou amostras para pesquisas no Japão e Argentina, o qual foi constatado posteriormente todos os benefícios, que hoje é de conhecimento publico.

 

O cogumelo A. Blazei é considerado um alimento de excelente valor nutritivo. O produto desidratado é altamente proteico e é rico em vitaminas como tiamina (vitamina B1), riboflavina (vitamina B2), niacina (vitamina B3), piridoxina (vitamina B6), cobalamina (vitamina B12), ácido pantotênico, biotina (vitamina H), ácido fólico, ácido ascórbico (vitamina C), tecoferol (vitamina E) e Kinona (vitamina K) e ainda, é fonte de quase todos os aminoácidos.

 

O segredo de tantos benefícios que o Agaricus oferece é a presença na composição química de um polissacarídeo denominado Beta-d-Glucan. Nas pesquisas de cientistas japoneses revelou-se que o polissacarídeo ß-d-Glucan atua no organismo humano aumentando as funções imunológicas, acarretando o aumento de macrófagos, “Natural Killer Cells” (NKC), células T, células B e células complementares, evitando a regeneração e a metástase do câncer.

 

Nos Estados Unidos, pesquisadores do Instituto de Otorrinolaringologia da Universidade da Califórnia (UCLA), observaram que este polissacarídeo presente no cogumelo aumentava a quantidade de células imunológicas no organismo. Já na Universidade da Carolina do Norte, pesquisadores afirmaram que os extratos obtidos a partir do cogumelo apresentaram alta toxicidade sobre as células cancerosas e também sobre o HIV.

 

Por tratar-se de um produto de natureza biológica, o cogumelo A. Blazei, por consequência da fisiologia do próprio fungo, está sujeito a uma série de variabilidades nas suas características físicas e bioquímicas (tamanho, cor, composição, etc) não invalidando suas propriedades terapêuticas. Em meados de 1995, os especialistas da Universidade da Califórnia de Los Angeles – UCLA onde presenciou as pesquisas de um “cogumelo medicinal”, especialistas formaram um grupo de estudos no Brasil para analisar o que consideravam ser uma promissora arma no tratamento do câncer.Desde então este grupo de estudos já sentiu a necessidade da criação de um sistema de saúde formal que fosse capaz de apoiar e ampliar as pesquisas de terapias até então marginalizadas pela medicina convencional do Brasil.Outros cientistas foram se aproximando destas pesquisas.

 

Propriedades

O cogumelo A. Blazei é considerado um alimento de excelente valor nutritivo. O produto desidratado é altamente protéico e é rico em vitaminas como tiamina (vitamina B1), riboflavina (vitamina B2), niacina (vitamina B3), piridoxina (vitamina B6), cobalamina (vitamina B12), ácido pantotênico, biotina (vitamina H), ácido fólico, ácido ascórbico (vitamina C), tecoferol (vitamina E) e Kinona (vitamina K) e ainda, é fonte de quase todos os aminoácidos.

 

Características

Nome científico: …….. Agaricus Blazei
Família: ……………….. Agaricaceae
Ocorrência natural: …. Mata Atlântica do Sudoeste Brasileiro
Aplicação: ……………. Suplemento alimentar terapêutico

 

Composição Média do Agaricus Blazei Murril Desidratado 

Umidade 7,5%
Proteína 36,7%
Gordura 3,4%
Fibra 6,8%
Cinzas 7,3%
Açúcares 38,3%
Beta Glucana 30-60mg/g
Fósforo 939 mg/100g
Ferro 18,2 mg/100g
Cálcio 41,6 mg/100g
Vitamina B1 0,48 mg/100g
Vitamina B2 2,84 mg/100g
Vitamina D 354 mg/100g
Niacina 40,9 mg/100g

 

A ingestão do Agaricus Blazei, principalmente, é um ato milenar na prevenção e até auxílio na recuperação de algumas doenças. O segredo de tantos benefícios que o Agaricus oferece é a presença na composição química de um polissacarídeo denominado Beta-d-Glucan. Nas pesquisas de cientistas japoneses revelou-se que o polissacarídeo ß-d-Glucan atua no organismo humano aumentando as funções imunológicas, acarretando o aumento de macrófagos, “Natural Killer Cells” (NKC), células T, células B e células complementares, evitando a regeneração e a metástase do câncer.

 

Nos Estados Unidos, pesquisadores do Instituto de Otorrinolaringologia da Universidade da Califórnia (UCLA) observaram que este polissacarídeo presente no cogumelo aumentava a quantidade de células imunológicas no organismo. Já na Universidade da Carolina do Norte, pesquisadores afirmaram que os extratos obtidos a partir do cogumelo apresentaram alta toxicidade sobre as células cancerosas e também sobre o HIV. Por tratar-se de um produto de natureza biológica, o cogumelo A. blazei, por consequência da fisiologia do próprio fungo, está sujeito a uma série de variabilidades nas suas características físicas e bioquímicas (tamanho, cor, composição, etc) não invalidando suas propriedades terapêuticas.

 

Entre os benefícios que o cogumelo produz no corpo humano, destacam-se a renovação de células, melhoria do quadro geral do organismo, melhoria na defesa imunológica, redução dos efeitos colaterais do tabagismo, prevenção do câncer (pela eliminação de material cancerígeno), redução da glicose sanguínea, ação hipotensiva, redução do colesterol, redução da arteriosclerose, estimulação quantitativa e qualitativa das células NK (Natural Killers).

 

Câncer o que é?

A cada dia, tornam-se mais frequentes os diagnósticos de câncer. Nos países desenvolvidos estas doenças, também chamadas de malignas, já representam a segunda maior causa determinante dos óbitos, ficando atrás apenas das doenças cardiovasculares. Não se trata de uma epidemia. Ocorre que o melhor controle sobre as demais doenças vem permitindo uma vida mais longa, o que abre espaço para o desenvolvimento do câncer. Temos hoje mais de duzentas doenças agrupadas sob o nome de câncer. Todas resultando do crescimento autônomo e desordenado de uma pequena parte do organismo.

Entretanto, na prática médica, cada uma delas é abordada de forma diferenciada e tratada de acordo com seu órgão de origem e extensão no organismo.

 

O termo câncer foi empregado pela primeira vez na Grécia Antiga. Observando-se que algumas feridas pareciam penetrar profundamente na pele, comparou-se este comportamento ao de um caranguejo (karkinos em grego, câncer em latim) agarrado à superfície. Apesar de reconhecidas há tanto tempo, somente com a descoberta do microscópio que o estudo das doenças malignas pode evoluir. A partir da identificação da célula como a unidade funcional dos organismos evoluídos, foi possível compreender um pouco melhor o desenvolvimento das doenças malignas.

 

A Célula

A célula é a menor porção do nosso organismo capaz de criar sua própria energia, crescer e se multiplicar. São estruturas que medem milésimos de milímetros, isto é, mil vezes menores que uma bolinha de gude. Todos os órgãos do corpo são formados por células, e cada uma delas apresenta características adequadas à função que desempenha. Por exemplo, as células musculares são alongadas, agrupam-se em feixes, e têm a capacidade de se encurtar. Estas particularidades permitem que o músculo se contraia quando estimulado, criando movimento. Já as células da pele são achatadas e dispostas em diversas camadas. Produzem grande quantidade de proteínas que formam um revestimento impermeável, constituindo-se numa importante barreira à entrada de substâncias químicas ou invasão por agentes infecciosos.

 

De fato, em cada órgão do corpo, vamos encontrar células que se diferenciaram para o melhor desempenho de suas tarefas. É somente através da multiplicação celular que o organismo pode crescer e reparar-se. Neste processo, uma célula origina duas outras exatamente iguais, que passam a ocupar o seu lugar. Orientadas pelas necessidades do organismo, células jovens estão constantemente se dividindo para substituir suas estruturas obsoletas e permitir seu crescimento.

No indivíduo adulto, esta multiplicação ocorre, exclusivamente, para substituição de células mortas e reparação de estruturas, sendo todo o processo rigorosamente controlado.

 

Material Genético

Apesar da multiplicidade de formas e localização dentro do corpo, todas as células de um organismo apresentam o mesmo material genético. No interior de cada célula, encontram-se dados suficientes para reproduzir toda a estrutura do organismo.

As moléculas do Ácido Desoxiribonucleico (DNA), que formam os cromossomos, arquivam estas informações, estabelecendo a forma e a função de cada elemento do nosso corpo. Cada pedaço de DNA com uma informação completa é chamado de gene, enquanto o conjunto de todo este material recebe o nome de genoma.

 

O crescimento, a multiplicação e a diferenciação de todas as células são determinados por estes comandos genéticos. Podendo ser definido como uma verdadeira planta do organismo, que estabelece cada detalhe de sua arquitetura, o genoma é uma “herança eterna”, recebida dos pais e transmitida aos filhos. No momento da concepção, espermatozóide e óvulo se fundem, cada um deles contribuindo com a metade do material genético do futuro embrião.

Durante o crescimento do organismo, a cada divisão celular, o genoma é integralmente transmitido para todas as células filhas.

 

Mutações

As moléculas de DNA, responsáveis pelo plano de formação e funcionamento de todas as células do nosso organismo, estão sujeitas a modificações. Fatores externos, como substâncias químicas, radiações e infecções virais podem interferir em sua estrutura, alterando a informação básica da célula.

 

Estas alterações, chamadas mutações, na maioria das vezes não trazem repercussões à forma ou função das células. Entretanto, quando ocorrem em “genes chaves”, responsáveis pelo controle do crescimento, multiplicação ou diferenciação das células, mesmo pequenas modificações podem determinar profundas transformações no seu comportamento.

 

O Câncer

Os incríveis avanços da Biologia Molecular permitiram compreender o câncer a partir das alterações no material genético de suas células. Mutações em determinados genes alteram os comandos de divisão, diferenciação e morte celular, permitindo sua multiplicação desenfreada. Com seus mecanismos de controle da divisão inoperantes, a célula conquista plena autonomia, podendo crescer e se multiplicar independentemente das necessidades do organismo. Através de sucessivas divisões, a célula, agora chamada de maligna, acaba formando um agrupamento de células praticamente idênticas que recebe o nome de tumor.

 

Diante desta perda de controle intrínseco da multiplicação celular, só resta ao organismo tentar identificar e destruir estas células anormais através do seu Sistema Imunológico. Se este sistema mostrar-se ineficaz, a doença passará a ter condições de evoluir. As mutações vão se acumulando no genoma da célula, determinando novas alterações no seu comportamento.

As células malignas podem, por exemplo, adquirir a capacidade de disseminação, crescendo em áreas do corpo distantes de seu órgão de origem. Estes focos de crescimento a distância chamam-se metástases.

 

Isto é o câncer: um grupo de células, crescendo descontroladamente, capazes de invadir estruturas próximas e, ainda, espalhar-se para diversas regiões do organismo.

 

Não há, entretanto, possibilidade de transmissão entre pessoas, mesmo nos contatos mais íntimos. Qualquer célula maligna que penetrasse em outro corpo seria rapidamente destruída pelo Sistema Imunológico deste organismo.

Todo câncer é formado por células que, ao sofrerem modificações caprichosas no seu material genético, passam a apresentar crescimento e multiplicação desordenados. Estas células deixam de responder aos mecanismos de controle do organismo, duplicando-se continuamente para criar os tumores. Algumas células malignas adquirem a capacidade de migrar e se desenvolver em outros órgãos muitas vezes distantes do seu local de origem. Este último processo dá origem às metástases, um importante obstáculo ao controle do câncer.

 

O que é o sistema Imunológico?

É responsável pela defesa do corpo humano contra as doenças e as células NK (Natural Killer) são glóbulos brancos responsáveis pela linha de defesa primária. Se a atividade das NK’s do corpo estão baixas, tornar-se-á difícil de se destruir uma bactéria intrusa. Nos testes de laboratório é possível se ver as bactérias sendo fagocitadas pelas células NK. Se nós retirarmos uma gota de sangue do corpo, normalmente teremos aproximadamente 100.000 (cem mil) células NK.

 

Como o Cogumelo Blazei funciona

-1995, O 9º Congresso Internacional de Imunologia realizado em San Francisco, Califórnia, EUA onde o Dr. Ghoneum do Instituto de Imunologia do Departamento de Imunologia da UCLA (Universidade da Califórnia) apresentou uma pesquisa sobre o cogumelo.

Em um dos experimentos 2 ratos com câncer foram preparados (rato “A” e “B”). O rato “A” foi tratado com o extrato do cogumelo. Após 3 horas as células NK do rato “A” destruíram 57% das células cancerígenas, enquanto que no rato “B” a destruição foi de apenas 2%. Em seguida, os pesquisadores contaram o número de células NK nos ratos, e descobriram que o rato “A” possuía, após apenas 3 horas, 3 vezes mais NK, do que o rato “B”. O Cogumelo não apenas aumenta muito o número de células NK, mas também as potencializa sobremaneira.

 

Em quais casos eu posso usar o cogumelo? :

  • Problemas de circulação, coração
  • Câncer em geral (Mama, Pulmão, Estômago, Fígado, Intestino, Próstata, Leucemia, etc.)
  • Diabetes
  • Hepatite (Tipo A, B e C).
  • Colesterol Alto
  • Doenças de pele
  • Insuficiência Renal, nefrite, cistite
  • Úlcera
  • Em diversos outros casos de doenças

Como você sabe as células cancerígenas são muito poderosas e difíceis de serem destruídas. As terapias mais convencionais são a cirurgia e a quimioterapia, que traz sérios efeitos ao organismo. O Cogumelo não provoca danos ao organismo e ainda o fortalece.

 

Para todos os casos, recomenda-se a continuidade do tratamento convencional. Não pare o tratamento. O Cogumelo é muito importante, mas o tratamento convencional deve ter seu prosseguimento normalmente.

 

 

Prováveis Efeitos do Cogumelo Agaricus Blazei

 

  1. CÉLULAS CANCEROSAS: as que já foram deformadas pela doença, fatalmente morrerão, mas as células seguintes que iriam sofrer o mesmo processo, virão fortalecidas pelos componentes do cogumelo. Em pouco tempo não haverá mais nascimento de células cancerosas. Se houver tumor, ele simplesmente desaparecer.
  2. CÉLULAS HEPÁTICAS: o fígado é um órgão vigoroso apesar do intenso trabalho que executa durante anos a fio; com a ingestão de cogumelo suas células serão fortificadas, normalizadas e multiplicadas positivamente.
  3. CÉLULAS ÓSSEAS: no decorrer da vida a velocidade de absorção de cálcio pelas células fica diminuída. Se houver ingestão normal de cálcio, o cogumelo fará com que as células aumentem aquela velocidade.
  4. CÉLULAS PANCREÁTICAS: estas células de altíssima especialização são constantemente sacrificadas pelos excessos de açucares e carboidratos ingeridos nas erradas refeições. Ingerindo menos açúcar de cana, dosando os carboidratos e tomando o cogumelo, aquelas células se recuperarão rapidamente, podendo diminuir verticalmente o estado da diabetes de qualquer origem pelos componentes do cogumelo.
  5. CÉLULAS GLANDULARES, SEXUAIS, HIPÓFISE, SUPRA-RENAIS, TIMO E OUTRAS: terão o seu poder de reprodução aumentado e fabricarão secreções de melhor qualidade.
  6. CÉLULAS SANGUÍNEAS: células de extrema vitalidade, mas de curta duração, necessitam de um baço vigoroso para aproveitamento dos seus componentes.
  7. CÉLULAS LINFÁTICAS: armazenadas nos gânglios (axilas, virilhas, maxilares e outros) são de importante controle nos casos de infecção por corpos estranhos. Sendo revitalizadas pelo cogumelo, agirão rapidamente contra os intrusos.
  8. CÉLULAS HUMANAS DOS AIDÉTICOS: todas as células do corpo do aidético precisam ser rapidamente fortalecidas devido à desproteção. O cogumelo chega a todas as células do corpo inteiro, iniciando uma resistência ampla do organismo que será reforçada pelas células do sistema imunológico.
  9. CÉLULAS DA PELE: são diariamente eliminadas e substituídas. O cogumelo fortalece internamente as células que virarão pele, despertando o aparecimento da melanina, podendo num tempo menor, fazer desaparecer o vitiligo. Também irão desaparecer a psoríase, eczema e outras dermatoses.
Top