Sal Natural »

Existem mais de 300 variedades de sal, que são divididos em dois grupos: o marinho e o de rocha. O primeiro se origina da evaporação da água do mar e o segundo é retirado de minas subterrâneas que surgiram quando antigos lagos ou mares secaram.

Do ponto de vista nutricional, o sal é uma grande fonte de sódio, mineral fundamental na regulação do volume de líquido no corpo, na condução de impulsos nervosos e na contração muscular. No entanto, o sódio também é abundante na maioria dos alimentos naturais. Assim, é adicionado aos alimentos mais pela satisfação do paladar do que por uma real necessidade do organismo. 

Sal Marinho x Sal Comum (Cloreto de Sódio)

Ninguém imagina as grandes diferenças que existem entre ambos os sais. Um dá a vida, o outro mata! O sal marinho que alimenta é o maior concentrado de minerais naturais.

É o maior alimento que a natureza criou, na exata medida requerida pelas células, o outro sal comum, lentamente, mata.

O mar se move de forma ondular há milhões de anos, desgastando todos os minerais e pedras que existem no planeta e essas partículas estão suspensas na água do mar. O homem descobriu que, evaporando a água do mar, resta o SAL MARINHO.

Ao analisá-lo, verificamos que contém, quase que nas mesmas proporções do soro sanguíneo, todos os minerais que o organismo precisa. Por isso se diz que viemos do mar.

Alguns minerais contidos no sal marinho: enxofre, boro, bromo, césio, carbono, estrôncio, magnésio, potássio, sódio, alumínio, arsênico, bário, cobalto, flúor, fósforo, ferro, lítio, manganês, mercúrio, níquel, nitrogênio, ouro, prata, radio, rubídio, selênio, silício, tório, urânio, vanádio, zinco, iodo etc. Há, ainda, moléculas de todas as pedras do planeta, sejam de uma montanha ou do deserto. Tudo termina no mar, levado pelas chuvas. São 84 minerais em sua composição.

Os músculos, ao desidratarem-se, perdem grandes quantidades de água e sais minerais, criando um estado de cansaço e esgotamento físico, psíquico, emocional e mental. Há maus funcionamentos internos, quando faltam os minerais perdidos. Devemos repô-los rapidamente e com o sal comum nada chegará até as células: somente sódio puro. O sal marinho repõe, em instantes, as nossas perdas.

Benefícios do Consumo Diário do Sal Marinho

  • Dá energia para os músculos.
  • Compensa os prejuízos da má alimentação.
  • Diminui a acidez gástrica.
  • Estimula a circulação sanguínea, respiratória, centros nervosos, os rins e as vias urinárias.
  • Elimina os ácidos tóxicos (Ácido Lático e Ácido Úrico).
  • Em 3 semanas, há uma grande transmineralização e um enriquecimento extraordinário de cálcio, flúor, magnésio etc.
  • O magnésio previne contra os transtornos do coração.
  • O flúor fortifica os ossos, os dentes etc.
  • Tem grande efeito bactericida e antibiótico.
  • Produz um grande equilíbrio eletrolítico.
  • Regula os excessos de sódio e potássio, baixa a pressão arterial, segundo estudos feitos na Espanha.
  • Evita os resfriados.
  • É antialérgico.
  • Estimula a cura das feridas. Alivia a Psoríase, os processos menstruais, o bócio.
  • Combate o colesterol, a senilidade, os cálculos biliares.
  • Os minerais participam da cura de todas as doenças físicas, todas.

Se consumindo sal marinho achamos “todos” os minerais que o corpo necessita, por que ninguém nos informa?

O importante é divulgá-lo, para que todos o consumam na sua totalidade e quase que pelo mesmo preço.

Para mais informações sobre como manter uma melhor alimentação, com qualidade e equilíbrio adequados, marque uma consulta com a nutricionista Dra. Neiva Marcolino, que atende todas as quintas-feiras das 14h às 19h, no Centrocardio.

Fonte: CENTRO ARGENTINO DE INVESTIGACIÓN Y ESTUDIO DE LOS MICRO NUTRIENTES CELULARES – Lic. Omar Rost.

Top